quarta-feira, 14 de maio de 2008

A previsão do tempo indica que mais um ciclone extra-tropical deverá se manifestar hoje à noite. Lá em casa.

Tédio.
Nada pra fazer. Não necessariamente nada, no sentido de coisa nenhuma. Mas nada que precise imprescindivelmente ser feito ou desperte vontade ou ânimo suficiente para que se pare de fazer nada e se passe a fazer alguma coisa, essa coisa.
O tédio muitas vezes nada tem a ver com a falta de coisas a se fazer; às vezes trata-se apenas da falta de ânimo para se fazer todas aquelas coisas que deveriam ser feitas. E o pior é que, nesse caso, o fato de coisas a fazer continuarem acumulando-se sem serem feitas causa angústia.

Tédio e angústia.
A falta de vontade de fazer aquelas coisas todas que angustiosamente acumulam-se sem serem feitas já que não há ânimo para fazê-las agrava-se, ainda, quando existem outros motivos que causem sentimentos negativos. Motivos que causem preocupação, decepção, dúvida. Essas coisas contribuem para o desânimo enormemente, transformando-o em tristeza.

Tédio, angústia e tristeza.
E doze minutos. São doze minutos a mais que eu preciso ficar aqui sentindo tédio, angústia e tristeza, sabendo que mais tarde, quando eu já tiver saído daqui e estiver em outro lugar, encontrarei pessoas e situações que me causarão raiva. Raiva essa que poderia ser chamada de indignação, indignação com pessoas que me subestimam ou superestimam (o que será pior?), com being taken for granted e não receber atenção, ajuda e seja mais o que for que eu queira por acharem que eu não preciso; por não poder ter preguiça, ser irresponsável e querer que tudo se foda, só porque normalmente eu não faço isso.

Tédio, angústia, tristeza e indignação.
É nesse quadro de humor favorável que eu chegarei à aula mais chata do universo, sem os textos lidos (aliás, sem os textos completamente), para ouvir reclamações, explicações antigas, etcéteras, e ficar morrendo de sono. De não conseguir manter o olho aberto.

Tédio, angústia, tristeza, indignação e sono.
E assim eu chegarei em casa. Entediada, angustiada, triste e indignada, cheia de coisas pra fazer que eu não tive saco de fazer mas que nem por isso deixam de precisarem ser feitas, cheia de decepções e chateações com pessoas que não estão nem aí com o que eu sinto e simplesmente exigem que eu esteja normal, decepcionada com coisas que estavam indo bem e de repente se perderam e com horas, muitas horas de sono atrasadas. E, bem, sejamos plausíveis. O fato de que às quartas-feiras eu não almoço devidamente deve acarretar que, a esta hora, eu também já esteja com fome.

Tédio, angústia, tristeza, indignação, sono e fome.
E boa sorte pras pessoas que precisarão me aturar quando eu chegar em casa.

2 comentários:

Nana disse...

ah, liv... mas tu tem um pacote de passatempos. não deveria ter tédio (passatempo, ahn ahn) e nem fome. hehe.

Carolina. disse...

aff! tá melhor agora?